quinta-feira, 4 de março de 2010

AO SOM DE VIVALDI

Vejo luzes refletindo nos cristais
Com a magia dum salão pra se dançar
E o namoro majestoso dos casais
Só uma dama tão quieta sem seu par

E ao som dum violino ouço Vivaldi
Tomo coragem para me aproximar
O olhar da dama triste me invade
E deixo a alma conduzir o meu falar...

Ouvindo o que me diz, timidamente
Estendo a mão, enviando um sorriso
E entrego-me ao valsar, serenamente

Seus passos são mais do que precisos
E envolvem minha alma, mansamente
Levando-me, facilmente, ao paraíso.

Marçal Filho/Lena Ferreira
Minas/Rio 02/03/2010

Um comentário:

  1. Soneto lindíssimo.

    Belas palavras, harmônico, envolvente.

    Parabéns!

    ResponderExcluir